Queremos repúdio às comemorações do golpe de 64

Queremos repúdio às comemorações do golpe de 64

mar 27, 2019

O vereador Marcelo Sgarbossa (PT) apresentou uma Moção de Repúdio à manifestação do presidente Jair Bolsonaro determinando as “comemorações devidas” do dia 31 de Março de 1964, data do golpe de Estado que deu início à ditadura militar no Brasil. A Moção foi assinada pelas Bancadas do PT e do PSOL, e também por parlamentares do PDT e PSB.

“Além de ser sonegada a democracia e suprimidos os direitos de organização, manifestação e de expressão, durante esses anos de chumbo, os órgãos de repressão do Estado promoveram prisões e detenções ilegais, perseguições, torturas, estupros, assassinatos, ocultação de cadáver e desaparecimentos de pessoas não revelados até hoje, conforme apurado por diversos relatórios e demais sistematizações produzidas por Comissões da Verdade”, ressalta o texto da Moção de Repúdio.

Sgarbossa ressalta, ainda, que o regime militar cassou os mandatos de Sereno Chaise e Ajadil de Lemos, respectivamente, prefeito e vice-prefeito de Porto Alegre na época. Além deles, tiveram os mandatos cassados os vereadores Alberto Schroeter, Hamilton Chaves, Dilamar Machado, Marcos Klassmann e Glênio Peres e Índio Brum Vargas. Os mandatos só foram restituídos em 27 de março de 2014, em ato solene na Câmara Municipal de Porto Alegre.

“Diante dessa realidade histórica inegável, é inconcebível que o presidente continue a fazer manifestações que revelam uma clara violação aos Direitos Humanos e ao Estado Democrático de Direito, além de demonstrar um desrespeito à memória de tantas pessoas assassinadas e aos familiares que tiveram parentes torturados, mortos e desaparecidos na ditadura. E frente a essa execrável postura, não se pode ficar calado, sobretudo, quando se tem consciência histórica, pela verdade, para que nunca mais se repita. Ditadura nunca mais!

show
 
close