Bike box: mais segurança para quem pedala

Bike box: mais segurança para quem pedala

fev 21, 2017

Emenda do vereador Marcelo Sgarbossa (PT) garantiu mais segurança para quem pedala em Porto Alegre. A proposta incluiu ciclistas junto a motociclistas nos chamados bolsões de proteção, que são áreas delimitadas exclusivamente para bicicletas e motos. Também conhecidos como bike box, esses espaços exclusivos permitem que ciclistas e motociclistas possam esperar a sinaleira abrir numa área à frente dos automóveis, podendo assim sair em vantagem e com visibilidade.

Aprovado na Câmara Municipal em fevereiro do ano passado, o projeto virou a Lei Municipal 12.246. A legislação (promulgada em 17 de Maio de 2017) estabelece a criação de bolsões de proteção para motocicletas e bicicletas nas vias providas de semáforo em Porto Alegre. No entanto, a EPTC e a Prefeitura não implantaram nenhum bike box até agora na Capital.

 

 

Grandes cidades do mundo, como Londres (Inglaterra), Toronto (Canadá), Tóquio (Japão) e Barcelona (Espanha) são adeptas ao bike box. Em São Paulo, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) também fez testes em 2013, ainda no início da gestão do prefeito Fernando Haddad (PT). “Além de ser uma área de proteção, os bike boxes também permitem o contato visual de motoristas com ciclistas, gerando uma relação maior de cuidado no trânsito. Vale lembrar sempre aquela regra simples: o maior protege o menor”, ressalta Marcelo.

ASSISTA: Renata Falzoni explica como funciona o bike box

Niterói (RJ) e Rio Branco (AC) também implantaram os bolsões de segurança para ciclistas em algumas avenidas onde o tráfego de bicicletas é intenso. “Os bike boxes são muito respeitados. Os motoristas ficam intimidados com a pintura vermelha no asfalto”, comentou Glauston Pinheiro, chefe de Divisão de Projetos da Nittrans (Niterói, Transporte e Trânsito), no site The City Fix Brasil.

 

Bike box em Niterói (foto retirada do blog da Transporte Ativo)