Emenda do Velódromo garante recursos para construir e recuperar pistas de bicicletas

Emenda do Velódromo garante recursos para construir e recuperar pistas de bicicletas

jun 7, 2016

Para estimular a prática esportiva com bicicleta, o vereador Marcelo Sgarbossa (PT) apresentou o projeto de Lei 017/14. A proposta do Coletivo Cidade mais Humana altera a Lei Complementar nº 626, de 15 de julho de 2009, que criou o Plano Diretor Cicloviário Integrado (PDCI) de Porto Alegre. O objetivo é incluir, no rol de investimentos do PDCI, a construção, reforma e manutenção de estruturas físicas para a prática de esportes com bicicleta, tais como velódromo, trilhas de mountain bike, pistas de bicicross, rotas cicloturísticas e downhill.

“A gente chama de Emenda do Velódromo porque a proposta garante recursos para que também seja recuperada a pista que existe no Parque Marinha do Brasil”, explica Sgarbossa. “A falta de espaços públicos adequados para a prática do esporte é uma barreira que impede a adesão e a ampliação de praticantes na cidade. Daí a importância de se permitir maior alcance na aplicação de recursos, possibilitando investimentos em construção, reforma e manutenção de estruturas físicas”, complementa Marcelo.

Além de incentivar a prática de esporte com bicicleta, a recuperação do Velódromo do Marinha favorece a BiciEscola, promovida pela UrbsNova Porto Alegre – Barcelona, em parceria com a CiuPoa e Dudu Bike, que conta com o apoio da Prefeitura de Porto Alegre e patrocínio do Banco Itaú Unibanco. “Vale reiterar que o uso da bicicleta e o esporte devem chegar a mais pessoas. E o Poder Público tem papel fundamental na indução da implementação de políticas públicas que incentivem práticas desportivas e a melhor qualidade de vida”, justifica o parlamentar.

PROJETO REJEITADO PELA MAIORIA DA BASE DO GOVERNO FORTUNATI-MELO

A Emenda do Velódromo foi colocada em votação na quinta-feira (9/6). A proposta acabou sendo rejeitada pela maioria da base aliada da gestão Fortunati-Melo: foram 13 votos Não e apenas oito Sim; e uma abstenção (veja a lista completa de votação).

Durante o debate no plenário, o vereador João Carlos Nedel (PP) afirmou que o Velódromo do Marinha teria despertado o interesse da iniciativa privada. O Jornal do Comércio divulgou a notícia, que pegou de surpresa parlamentares da oposição que defenderam a Emenda do Velódromo como forma de incentivar a prática de esportes na Capital. Após a rejeição do projeto, o vereador Sgarbossa falou à Rádio Câmara sobre a derrota da proposta.

 

Projeto garante recursos no Plano Cicloviário para recuperação do velódromo do Marinha

Projeto garante recursos no Plano Diretor Cicloviário para recuperação do velódromo do Marinha

 

PORTO ALEGRE MERECE UM VELÓDROMO DE ALTO NÍVEL

Em texto publicado no Facebook, Marcelo Sgarbossa destacou a importância dos velódromos na carreira dele como atleta de ciclismo.

“Na minha carreira de ciclista competi em velódromos de diferentes cidades. Em 1992, fui campeão brasileiro Júnior no velódromo da USP, em São Paulo. Na disputa pelo Mundial, no mesmo ano, cai um tombo no velódromo de Atenas, na Grécia, que ficou registrado nesse vídeo.

Também pedalei no velódromo de Betim, em Minas Gerais, e da cidade de Rio Grande, no Sul do Estado. No Fórum Mundial da Bicicleta de 2014, conheci o velódromo de Curitiba (PR).

Para fortalecer a prática desse esporte tão empolgante que é o ciclismo, Porto Alegre merece um velódromo de qualidade. Pensando nisso é que apresentamos o projeto da Emenda do Velódromo, que garante recursos para a construção e recuperação de pistas para ‪‎bicicletas, inclusive para o velódromo do Parque Marinha do Brasil.‬”

 

* Fotos: Jorge Piqué / UrbsNova