Telhados verdes entram no Código de Edificações da Capital

Telhados verdes entram no Código de Edificações da Capital

dez 27, 2013

Para deixar Porto Alegre mais verde e sustentável, o Coletivo Marcelo Sgarbossa (PT) apresentou projeto de lei que altera o Código de Edificações do Município (Lei Complementar 284/92), permitindo o uso de telhados verdes sobre lajes e demais coberturas do último pavimento de prédios. A proposta foi aprovada na última sessão plenária de 2013, realizada no dia 19 de dezembro.

Além de ser um instrumento importante para reduzir os impactos de ilhas de calor em grandes centros urbanos, o uso do telhado verde também compensa parcialmente a área impermeável ocupada no térreo da edificação, facilita a drenagem, fornece isolamento acústico e produz um diferencial estético e ambiental na edificação, sendo um atrativo para pontos comerciais e turísticos. “Os telhados verdes não servem apenas para produção de oxigênio, mas também para absorção da água da chuva. Se Porto Alegre tiver mais telhados verdes, poderemos ampliar as áreas de absorção e, quem sabe, evitar alguns pontos de inundações. Trata-se, portanto, de uma alternativa sustentável e viável a ser instalada sobre lajes e telhados tradicionais”, afirma Marcelo Sgarbossa.

O vereador lembra, ainda, que essa tendência está em crescimento no mundo todo. “Com ajuda de lei que permite abatimentos em impostos, cidades como Nova Iorque e Chicago, nos Estados Unidos, mais do que dobraram a superfície verde dos prédios, resultando em uma cobertura verde que soma 87,7 mil metros quadrados, ou 10% da área construída em Nova Iorque, por exemplo”, garante Marcelo.

 

Telhado de shopping em SP é coberto por plantas que reduzem calor (foto: reprodução/Facebook)

 

Leia mais: Uso de telhado verde pode reduzir impactos de ilhas de calor

 

Ouça matéria da Rádio Câmara: Telhados verdes entram para o Código de Edificações