Faixas exclusivas para coletivos na avenida Ipiranga

Faixas exclusivas para coletivos na avenida Ipiranga

dez 18, 2013

Para beneficiar o transporte público, o Coletivo Marcelo Sgarbossa (PT) encaminhou pedido de providência para que a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) crie faixas exclusivas para ônibus e lotações em toda a extensão da avenida Ipiranga. “É uma das vias de maior circulação de veículos na Capital. Ao longo da Ipiranga, estão localizados grandes centros comerciais e instituições universitárias, como a Ufrgs e a PUC”, justifica o vereador Marcelo.

Localizada à direita da avenida, as faixas exclusivas para o transporte público são fácil implantação e permitem maior fluidez na circulação viária de ônibus e lotações. “Vale lembrar que os carros particulares respondem por somente 30% dos deslocamentos nas cidades, mas ocupam quase 70% das vias públicas. Então essa medida beneficia de verdade o transporte coletivo e deve ocasionar maior regularidade no cumprimento dos horários, com a diminuição do tempo de duração das viagens e de espera para os passageiros que aguardam nas paradas. Com isso, mais pessoas serão incentivadas a utilizar o transporte público, o que poderá também reduzir o número de veículos particulares trafegando pela via”, destaca Sgarbossa.

A própria EPTC já reconheceu a importância das faixas exclusivas, implantadas em caráter experimental na zona Sul da Capital. Após dez dias de funcionamento, técnicos constataram que as viagens de 45 linhas que circulam no local, nos horários de pico, tiveram uma redução média no tempo das viagens de 27%. Antes da implantação da faixa prioritária, o tempo de deslocamento nos 4,5 quilômetros variava de 18 a 20 minutos. Atualmente, a média das viagens está em 13 minutos, com a velocidade média dos ônibus de 21km/h. Uma mudança que beneficia cerca de 18,4 mil passageiros nos horários de pico, conforme dados da EPTC.

 

Na zona Sul, resultados são positivos (foto: Dani Barcelos/divulgação ZH-EPTC)

 

“Se os resultados foram positivos na zona Sul, por que não podemos ampliar os benefícios dessa medida para os usuários do transporte coletivo na avenida Ipiranga e em outras vias de grande circulação da Capital?”, questiona o parlamentar. Ao Jornal Metro, o presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari afirmou que a existe a intenção de ampliar as faixas exclusivas na Capital. Entretanto, segundo ele, a avenida Ipiranga não está na lista.

Ao saber disso, o Coletivo Marcelo Sgarbossa encaminhou pedido de informações com três questionamentos: quais são as vias (avenidas) que receberão faixas exclusivas para o transporte coletivo? Qual a extensão, em quilômetros, que se planeja implementar de faixas exclusivas no período 2014/2015? E quais são os critérios técnicos utilizados para planejar e definir as vias que poderão ser incluídas?

“Parece que está faltando ousadia a quem está no comando do Executivo. Enquanto isso, quem sofre é a população que usa o transporte coletivo diariamente para se deslocar por Porto Alegre e que tem que aguentar longas esperas nas paradas e nos congestionamentos”, ressalta Marcelo.