Mobilidade é tema de encontro com presidente da EPTC

Mobilidade é tema de encontro com presidente da EPTC

abr 12, 2013

O Coletivo Marcelo Sgarbossa (PT) esteve reunido por quase uma hora com o diretor-presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari, na tarde desta quinta-feira (11/4). A intenção foi abrir um canal de diálogo permanente. “Queremos colaborar com a elaboração de políticas públicas”, explica Marcelo.

O foco da conversa envolveu quatro assuntos principais: o projeto de lei que reduz a velocidade máxima; o transporte coletivo; e os planos Diretor Cicloviário Integrado (PDCI) e de Mobilidade Urbana. Sobre a proposta de redução do limite, o presidente da EPTC elogiou a iniciativa, mesmo sem manifestar posição favorável ou contrária. “O projeto abre um debate importante na cidade, o que também ajuda a educar a população a respeito das questões do trânsito”, comentou Cappellari.

 

Importância do debate para educar a população sobre o trânsito foi destacada por Cappellari (e)

 

No entanto, o resultado da audiência não foi muito empolgante. Constatou-se que falta um longo caminho até que a Capital comece a discutir a elaboração de um Plano de Mobilidade Urbana. Por força de lei federal, todos os municípios brasileiros com mais de 20 mil habitantes devem elaborar um instrumento de planejamento que justifique a aplicação de recursos em obras. O objetivo é garantir a universalização e a acessibilidade, com prioridade ao transporte não-motorizado (pedestres e ciclistas) e o transporte coletivo. “O presidente da EPTC nos disse que, antes de tudo, é preciso concluir o processo de licitação do transporte coletivo, que ainda está sendo montado. A previsão de lançamento do primeiro edital é no fim deste ano”.

Apesar disso, para envolver a sociedade e a Câmara Municipal no debate sobre o plano, o mandato já articula a criação da Frente Parlamentar da Mobilidade Urbana. A proposta do vereador Sgarbossa pode ser levada ao plenário nos próximos dias. “Este assunto é tema, inclusive, de uma campanha do Greenpeace reivindicando transporte público mais eficiente nas cidades”, destacou.

Com relação ao PDCI, o Coletivo indagou sobre a realização de campanhas educativas e pediu a retomada do grupo de discussão que parou de se reunir há quase dois anos. “Recebemos muitas reclamações sobre as ciclovias que foram construídas na Capital. Por isso, consideramos extremamente necessário que os novos projetos sejam discutidos com os ciclistas antes de estarem prontos”, afirmou Marcelo. O presidente da EPTC ficou de analisar o pedido.

Sgarbossa também entregou um documento com quase 30 demandas encaminhadas ao gabinete pela internet. Uma delas teve resposta imediata. Sobre a placa que desrespeita o Código de Trânsito ao pedir atenção ao pedestre, estabelecendo prioridade aos automóveis (localizada atrás do estádio Beira-Rio), Cappellari afirmou que ela não era de responsabilidade da EPTC. “Não fomos nós que colocamos. Vi esta foto na internet e já determinei a retirada da placa”, garantiu Cappellari. Além do vereador, participaram do encontro os assessores Beto Flach, Gilnei da Silva e Maurício Macedo.

 

Cappellari mandou retirar a placa instalada atrás do estádio Beira-Rio