Uma muda plantada a cada automóvel novo vendido

Uma muda plantada a cada automóvel novo vendido

set 13, 2017

Projeto do vereador Marcelo Sgarbossa (PT) e do Coletivo Cidade mais Humana obriga as concessionárias de veículos automotores de Porto Alegre a compensar a emissão de dióxido de carbono (CO²) por meio do plantio de árvores nativas. A proposta determina que a cada automóvel novo vendido a empresa terá que plantar um muda.

O plantio deve estar de acordo com Plano Diretor de Arborização Urbana (PDAU) e ser acompanhado por profissional técnico habilitado. As mudas deverão ser plantadas em áreas de preservação permanente, reservas florestais, parques, jardins, corredores ecológicos ou ambientes ecologicamente apropriados.

Para Sgarbossa, o plantio de árvores também seria uma forma de as empresas demonstrarem responsabilidade social e colaborarem com o processo de mitigação do efeito estufa. “As revendas podem aproveitar e ajudar a fazer da Capital uma cidade mais sustentável. Vale lembrar que cerca de 40% da emissão de CO², e outros gases nocivos à saúde e à atmosfera, se deve à queima de gasolina e de óleo diesel. Por isso a importância dessa iniciativa”, explica o parlamentar.

 

Plantio de mudas de árvores ajuda a compensar emissão de gases na atmosfera

 

O vereador destaca que, com a lei, Porto Alegre ganhará milhares de árvores. “Mais de 158 mil automóveis novos foram emplacados no Estado em 2016, grande parte deles na Capital”. Marcelo informa, ainda, que esse projeto já virou lei em outras cidades, como Manaus (AM) e Londrina (PR).

Em caso de descumprimento da lei, o projeto de Sgarbossa determina o pagamento de multa de R$ 1 mil para cada automóvel vendido. Os recursos das multas serão destinados ao setor competente do Executivo Municipal, para aplicação em campanhas e eventos ligados à educação ambiental”.

 

Produtores de grandes eventos também devem plantar árvores

Tramita na Câmara Municipal de Porto Alegre outro projeto de Lei do vereador Marcelo Sgarbossa (PT) que também trata da compensação ambiental. A proposta obriga responsáveis pela promoção ou realização de eventos de grande porte em locais públicos da Capital (concedidos ou não à iniciativa privada) a compensar a emissão de gases geradores de efeito estufa provenientes desses eventos por meio da comprovação do plantio de espécies nativas de árvores.

Experiência semelhante já vendo sendo adotada na cidade de São Paulo desde 2007, quando, por determinação legal, todos os eventos realizados em parques municipais precisam ter seus efeitos obrigatoriamente mitigados com o plantio de árvores, para compensar a emissão de gases de efeito estufa. Numa média de mais de cem eventos, já foram plantadas cerca de 40 mil árvores, correspondente a 24 hectares. Entre os eventos compensados mais conhecidos do público estão o Festival de Cultura Japonesa e o São Paulo Fashion Week.

Saiba mais AQUI

show
 
close