Projeto garante água gratuita para clientes

Projeto garante água gratuita para clientes

jul 11, 2017

Servir água em copos ou jarras, em vez da engarrafada em vasilhames plásticos, é uma ação importante de sustentabilidade ambiental, na medida em que reduz o consumo de garrafas plásticas e reduz a produção de resíduos. Pensando nisso, o vereador Marcelo Sgarbossa (PT) e o Coletivo Cidade mais Humana apresentaram um projeto de Lei que obriga bares, restaurantes e estabelecimentos similares a servir água potável filtrada para consumo gratuito para clientes em Porto Alegre.

Além da importância ambiental, a proposta busca incentivar a cultura do bem, gerando maior fidelidade e um diferencial no atendimento, ao demonstrar uma preocupação com o planeta e com a coletividade. E também reforça a ideia de que Água não se nega!

“Seria melhor que não fosse necessário criar uma lei para garantir o direito de as pessoas beberem água sem ter que pagar por isso nos estabelecimentos onde estão consumindo. Oferecer uma jarra de água como cortesia é uma prática disseminada, há muitos anos, em restaurantes de países da Europa e dos Estados Unidos”, explica o parlamentar.

Sgarbossa lembra que a fabricação de uma única garrafinha de plástico gera um volume de resíduos que corresponde a oito vezes o seu peso, da extração do petróleo à produção do plástico, incluindo gases poluentes, dejetos sólidos e até mesmo água. “Do total de garrafas plásticas produzidas no Brasil a cada ano, apenas 55% são recicladas, sendo o restante jogado em aterros sanitários, onde levarão cerca de 400 anos para se decompor.”

 

 

O vereador destaca que leis semelhantes estão em vigor no estado do Rio de Janeiro, desde 1995, e no Distrito Federal (de 1998). “Em São Paulo, o projeto Água na Jarra, da ONG Igtiba, ajuda estabelecimentos comerciais na escolha de um filtro apropriado e na capacitação dos garçons para explicar aos clientes a nova prática”, acrescenta.

Segundo Marcelo, estão sendo analisadas algumas sugestões de mudanças na proposta, apresentadas pela população nas redes sociais. “Pensamos em alterar o texto retirando a exigência de água filtrada, e mantendo a obrigação de fornecer água potável”. O projeto determina, ainda, que os estabelecimentos deverão afixar cartazes informando a obrigatoriedade estabelecida na Lei. Quem descumprir estará sujeito a sanções previstas no Código de Defesa do Consumidor.

 

  • Camila Sacramento

    Já temos lugares muito legais que adoram esta prática, como o Bonobo, o Vulp café, o Raw, todos no bom fim, e o ele pasito, na cidade baixa. Por mais lugares assim!

show
 
close