Mais espaço e segurança para os ciclistas da Capital

Mais espaço e segurança para os ciclistas da Capital

ago 19, 2013

No Dia Nacional do Ciclista (19/8), o Coletivo Marcelo Sgarbossa (PT) protocolou um projeto de lei que determina o fechamento de toda a avenida Edvaldo Pereira Paiva (Beira-Rio) para a circulação de veículos aos sábados, domingos e feriados. Além de ampliar as áreas de lazer para a população da Capital, a intenção é garantir mais espaço e segurança aos atletas que habitualmente utilizam a orla do Guaíba para a prática de treinamento. O bloqueio da avenida vigorará das 6h às 20h, sendo estendido até 21h no período de Horário Brasileiro de Verão.

Da tribuna, o vereador Marcelo Sgarbossa (PT) explicou que o fechamento da Beira-Rio não causará grande impacto no tráfego de veículos. “Existem alternativas, como as avenidas Borges de Medeiros e Praia de Belas”, explicou. Segundo ele, o projeto busca restabelecer uma medida adotada em 1989, no primeiro governo da Frente Popular em Porto Alegre. Por decreto, o então prefeito Olívio Dutra (PT) proibiu o tráfego de automóveis na orla considerando “a grande afluência de público” e “que as pessoas, quando entregues ao entretenimento, mais facilmente se descuidam da segurança”. “Vemos que, já naquela época, o nosso companheiro Olívio pensava e governava privilegiando as pessoas.”

A medida, no entanto, foi suspensa em janeiro de 2012, após um novo decreto do prefeito José Fortunati (PDT). “A alegação usada pela atual gestão é de que o fechamento da Beira-Rio causa diversos transtornos e prejuízos à circulação de veículos. Ou seja, pensando na fluidez do trânsito, a prefeitura mantém a visão carrocêntrica, andando na contra-mão do que acontece em várias cidades do mundo, onde cada vez mais se restringe o espaço para os automóveis”, afirmou.

 


 

O parlamentar disse, ainda, que este tipo de ação incentiva o abuso da velocidade. “Em julho deste ano, a EPTC flagrou 291 motoristas trafegando acima do limite permitido na Edvaldo, sendo que 44 estavam a mais de 90km/h e outros 12 acima de 100km/h. Um deles foi flagrado a 139km/h. Ou seja, quando a fluidez do tráfego é colocada acima do interesse das pessoas, estamos colocando muitas vidas em risco”, alertou.

Outra iniciativa protocolada neste 19 de agosto foi um Pedido de Providência para que seja criada uma Área de Proteção ao Ciclismo de Competição na avenida Beira-Rio. A delimitação deverá ser feita por meio da instalação de placas de sinalização alertando os condutores para a presença de ciclistas em treinamento, bem como com o reforço da fiscalização por parte da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), inclusive com a implantação de um controlador eletrônico de velocidade (pardal).

Ex-ciclista profissional, Marcelo lembrou que as duas medidas poderão salvar vidas. “Em 2005, tivemos a trágica morte do professor Antônio Carlos Stringhini, pró-reitor da Ufrgs e triatleta que foi atropelado enquanto treinava numa tarde de sábado.”

 

show
 
close