Manifestantes relatam agressões da BM nos protestos

Manifestantes relatam agressões da BM nos protestos

jul 4, 2013

A Comissão de Direitos Humanos (Cedecondh) da Câmara Municipal recebeu, na noite desta terça-feira (2/7), um grupo de jovens detidos durante as manifestações pela redução do valor da passagem de ônibus em Porto Alegre nos dias 14, 17 e 27 de junho. Eles relataram as agressões e humilhações que sofreram de policiais militares (detalhes abaixo).

Para tratar deste tema, pela manhã, o Coletivo Marcelo Sgarbossa (PT) esteve na Defensoria Pública do Estado (DPE) e na Ouvidoria da Secretaria de Segurança Pública, onde conversou com a ouvidora Patrícia Lucy Machado Couto e com Célio Golin sobre as denúncias de violência, truculência e de abusos de autoridade cometidos por agentes da Brigada Militar e da Guarda Municipal de Porto Alegre nas manifestações.

 

Vereador Marcelo Sgarbossa (PT) esteve reunido com ouvidora Patrícia Couto e Célio Golin

 

O parlamentar foi informado que a Ouvidoria enviou ofício ao Comando-Geral da BM, no dia 20 de junho, com as seguintes recomendações: obrigatoriedade de identificação dos policiais nas fardas; proibição do uso de pulseiras plásticas no lugar de algemas; uso de algemas quando for estritamente necessário; remoção imediata dos detidos para uma Delegacia de Polícia, Área Judiciária ou Hospital de Pronto-Socorro (HPS), quando for o caso, evitando a manutenção de pessoas em postos policiais; orientação à tropa para que se abstenha de realizar comentários pessoais durante as detenções. Segundo Patrícia, a Brigada não respondeu, mas a ouvidoria disse ter notado que as orientações estavam sendo seguidas nas manifestações posteriores, com exceção da primeira, que trata da identificação dos policiais.

Na Defensoria, a conversa foi com os defensores Rodolfo Lorea e João Otávio Carmona Paz, dirigente do Núcleo de Direitos Humanos do órgão. O coletivo parabenizou a instituição pelo trabalho de acompanhamento das manifestações na Capital e buscou informações sobre os encaminhamentos tomados a respeito das denúncias contra a BM. Também foi exposto o nosso desejo de que a DPE seja um dos atores da sociedade a propor o debate sobre a atuação da polícia militar no atual contexto democrático brasileiro.

 

Coletivo expôs desejo de que a DPE proponha o debate sobre o modelo de polícia na democracia

 

Reunião na Cedecondh

Além dos relatos pessoais de agressões e humilhações que sofreram de policiais militares, os jovens também denunciaram agressões a outros detidos, especialmente na sede do 9º Batalhão, no Centro da Capital. Segundo eles, um homem foi espancado atrás de um balcão até ter o rosto desfigurado pelos ferimentos. O fato, disseram, está registrado em vídeo que circula pela internet. A pedido dos próprios denunciantes, os nomes não serão divulgados. Abaixo, alguns dos relatos que estão na matéria publicada no site da Câmara. Para ler na íntegra, clique AQUI.

Não havia depredado nada. Apenas tirava fotos para postar nas redes sociais quando um grupo de PMs do Choque avançou sobre mim na avenida Ipiranga com João Pessoa. Três PMs me pegaram, jogaram num camburão, jogaram spray de pimenta em mim e depois me colocaram num microônibus junto com outras pessoas. Neste período, sofri e presenciei muitas agressões” (R., detido no dia 17)

Fui preso por volta das 20h30, na Ipiranga, quando tentava passar pelo local para voltar para casa. Quando vi, estava no meio de uma nuvem de fumaça, sendo agarrado pelo braço por PMs que me jogaram no chão e me algemaram. Mesmo sem ter feito nada, fui acusado de desordem, desacato e dano ao patrimônio. Fui para o Presídio Central e lá fiquei por 14 horas. Nenhum dos PMs que vi tinha identificação” (M., detido no mesmo dia)

Estava na João Pessoa, longe do protesto já, mas a fumaça das bombas me deixou tonta. Corri em direção aos PMs para pedir ajuda, fui levada para trás da linha formada pelo pelotão de Choque, algemada, colocada de joelhos e depois deitada de bruços e com o pé de um PM no pescoço. Depois, no Deca e no DML, fui humilhada, junto com meu pai também” (C., 15 anos, idem)

 

Casos de agressão e humilhação foram relatados por manifestantes na Câmara

 

Jovens repudiaram presença do Grupo RBS

Uma situação inusitada ocorreu durante a atividade da Cedecondh. Ao entrar na sala da comissão, o repórter Eduardo Matos, da Rádio Gaúcha, foi hostilizado por alguns jovens que participavam da reunião. Fazendo críticas ao Grupo RBS, eles pediram a saída do jornalista. “Vocês vão distorcer tudo o que a gente está falando”, gritou um deles.

O repórter argumentou que queria dar voz aos manifestantes, mas o impasse persistiu mesmo após ele anunciar que não gravaria os depoimentos, acompanhando a sessão como cidadão. “Não é nada contra você, mas contra a empresa que você trabalha”, retrucou o jovem.

Como forma de mediação, a presidenta da comissão, Fernanda Melchionna (PSOL), propôs ao jornalista que realizasse as entrevistas fora da sala. A vereadora também pediu a compreensão do repórter, pois havia menores de 18 anos entre os denunciantes e a maioria não aceitou falar na presença dele. Foi quando a advogada Mariana Santos, do Serviço de Assistência Jurídica Universitária (Saju) da Ufrgs, se dispôs a conversar com Matos do lado de fora.

Incomodado com o ocorrido, o jornalista usou as redes sociais para reclamar que teria sido expulso da reunião. Na tarde desta quarta-feira (3/7), com a grande repercussão dentro da Câmara, o presidente, Dr. Thiago Duarte (PDT), suspendeu a sessão para que os vereadores tratassem do caso, como registra matéria publicada no site da Casa: Caráter público de reuniões é reafirmado após incidente na Cedecondh.

De parte do Coletivo Marcelo Sgarbossa (PT), acreditamos que houve um mal entendido. A hostilidade dos jovens ao Grupo RBS foi forte, e muitos dos que estavam ali disseram que não falariam se o repórter permanecesse na sala. A saída dele, contudo, não impossibilitou a realização da matéria, levada ao ar na mesma noite na Rádio Gaúcha, com a manifestação da advogada do Saju-Ufrgs relatando os casos de agressão.

 

show
 
close